Usando um live cd para montar partições LVM

Hoje me deparei com uma situação incomum. Como aqui no provedor utilizamos duas distros principais, a saber Ubuntu e CentOS, e alguns “forks” delas como a Elastix (voip).

Estas distribuições são estruturamente diferentes, a Ubuntu derivada do Debian e o CentOS derivada da Red Hat. Os sistema de pacotes e seu respectivo gerenciamento são diferentes, e a proposta de particionamento também, entre tantas outras diferenças.

Eu particularmente prefiro o CentOS quando precisamos organizar um servidor de páginas/BD. Já quando preciso usar uma máquina como base para monitoramento e usos mais genéricos prefiro a Ubuntu.

Por estes dias estamos configurando uma pequena central voip usando o Elastix como base, em uma placa mini-ITX com um chip ATOM. É um servidor pequeno apenas para atender e substituir a nossa antiga central analógica. Instalaremos uma placa da Digium nela e usaremos duas contas voip. Com isso esbarrei em uma encrenca, pois a placa que pegamos usa um chipset Attasinc L2 para a rede 10/100 Mbps e o CentOS simplesmente não reconhece.

A instalação desse driver será descrita em outro artigo em alguns dias.

Enquando estava fazendo testes de bancada usei um HD de 500GB e acabei instalando o driver e ficou tudo numa boa. Mas depois optamos por usar um Compact Flash de 8GB, já que sem partes móveis a tendência é que o equipamento demore mais para apresentar problemas. Mas dito tudo isso vamos a dica.

Montando o disco LVM usando um Ubuntu Live

Em primeiro lugar ache qualquer distribuição live que você goste, eu utilizarei para o exemplo o Ubuntu. Mas se você for utilizar outra distribuição será parecido, a exceção da manipulação dos pacotes.

Então vamos ao que realmente interessa:

  1. Com o Linux rodando (o live linux lembra?), digite
    sudo –s
    # apt-get install lvm2

    Se não tiver reconhecido a rede você pode procurar no cd/usb pelo pacote e instalar manualmente.

  2. Para ter certeza que o disco foi reconhecido
    # sfdisk –l 
  3. Depois disso vamos rodar o pvscan para procurar em todos os disco por volumes físicos. Com isto teremos certeza que o disco LVM foi detectado.
    # pvscan

    O resultado será como abaixo.

PV /dev/sdb2   VG VolGroup02   lvm2 [465,66 GB / 0    free]
PV /dev/sda2   VG VolGroup01   lvm2 [7,41 GB / 0    free]
Total: 2 [473,06 GB] / in use: 2 [473,06 GB] / in no VG: 0 [0   ]
  1. Agora iremos rodar o vgscan para procurar por volume groups.

    # vgscan
    Reading all physical volumes.  This may take a while...
    Found volume group "VolGroup02" using metadata type lvm2
    Found volume group "VolGroup01" using metadata type lvm2
  2. Hora de ativar todos os volumes disponíveis.
    # vgchange –a y 
2 logical volume(s) in volume group "VolGroup02" now active
2 logical volume(s) in volume group "VolGroup01" now active
  1. E o último passo é rodar o lvscan para procurar volumes lógicos. Você verá as partições ativas dentro do HD.

    # lvscan
    ACTIVE            '/dev/VolGroup02/LogVol00' [463,69 GB] inherit
    ACTIVE            '/dev/VolGroup02/LogVol01' [1,97 GB] inherit
    ACTIVE            '/dev/VolGroup01/LogVol00' [5,44 GB] inherit
    ACTIVE            '/dev/VolGroup01/LogVol01' [1,97 GB] inherit
  2. O último passo é criar o ponto de montagem, e montar os discos.

    mkdir /media/disk0
    mkdir /media/disk1
    mount /dev/VolGroup00 /media/disk0
    mount /dev/VolGroup01 /media/disk1

Pronto com isso já podemos utilizar os discos normalmente e mexer com os dados, pacotes e arquivos que quisermos.

Obs.: Quando fui mexer com os HDs tive um problema por ter utilizado o particionamento padrão do CentOS. Quando dei o comando pvscan os dois HD possuiam o volume group igual. Com isso não daria para usar os dois ao mesmo tempo. Se você tiver esse problema faça o seguinte:

  1. Rode o comando vgdisplay para descobrir o UUID de cada volume group.
    vgdisplay
  2. Agora vamos rodar o comando vgrename para alterar o nome de um deles. O UUID que utilizarei aqui é apenas um exemplo, altere conforme a sua necessidade.
    vgrename uUUSjr-mTzO-XSYW-2jlC-aAL3-QcuX-nODtu9 VolGroup00

Pronto agora quando seguir o procedimento a partir do terceiro (ou seria quarto) passo, tudo dará certo. Só não esqueça de no final do processo, desmontar o HD e alterar o nome do volume group para o nome original, que no meu caso era VolGroup01, para que a inicialização ocorra normalmente, senão durante o processo do boot você recebera a mensagem de Kernel Panic.

Encontrei vária referências, mas a mais útil e completa foi a do blog linuxwave.


6 Comentários on “Usando um live cd para montar partições LVM”

  1. Roberto Maldonado disse:

    Simplismente perfeito muito obrigado

  2. Mauro disse:

    Excelente tutorial Brother… Segui os passos conforme que você orientou e deu certo. Obrigado

  3. Lucas Catani disse:

    Perfeito… vou compartilhar no meu blog com referência a seu blog.

  4. fabio padilha disse:

    Cara parabéns pelo tutorial, salvou meu dia hoje… já até tirei uma copia e salvei aqui nos meu documentos. vlw mesmo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s