Dia de tristeza…

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os exercitar.” Eclesiastes 3:1-10

Hoje estou profundamente triste! É um sentimento entranhado em mim, que as vezes aflora sobre minha alegria perene. Existe desde aquele dia fatídico em Outubro de 2004, quando a convivência diária com os meus filhos me foi negada.

Tenho o grato prazer de ser pais das duas criaturas mais lindas, fofas, teimosas, e birrentas da face da Terra. Meu querido Lucas é um menino forte, já com 11 anos, sorriso de dentes grandes e cabela sempre raspado. Excelente em matemática, e educação física. Extremamente agitado e carinhoso. Super competitivo, não gosta de perder absolutamente em nada. Exímio jogador de xadrez, onde realmente se aplica. Irá participar de um campeonato a partir de amanhã. O primeiro regional, pode se classificar para o estadual e assim vai. Confio nele. Sei que pode ganhar. Mas gostaria de ensiná-lo a perder com mais dignidade também. Mas ele não gosta de perder, como disse é muito competitivo. Já a minha princesa chama-se Isabella. Linda, absolutamente linda com suas sardas, sorriso largo, e olhos grandes e brilhantes. Serelepe e teimosa. Até hoje quando está com sono fica de mal humor e começa a se aninhar nos meus braços sem pedir licença. Finjo que não quero pegá-la só para ver a insistência dela. Não é preciso dizer que ela sempre vence.

Estes são os meus amores. Eles fazem o meu amor. Amor este que não conhece nenhuma barreira. Por este amor moro longe dos familiares que me fazem tanta falta. Que faz com que eu os repreenda quando necessário e normalmente brinque como uma criança. Que me permite jogar Pro Evolution Soccer 2009 com meu filho, e brincar de Barbie, de escola e de casinha com a minha filha. Que me dá força para sair em um dia no qual os termômetros marcam 14 °C, mas a sensação térmica na sombra mais o vento é de 2 °C. Amo estas crianças, são elas que me fazem sair da cama à noite. Que fazem com que eu durma às 02:00 da madrugada velando por eles e acorde às 07:00 para preparar o café fresco com leite-condensado que eles gostam.

Hoje acabou meu período de férias escolares. Eu mudei de emprego há exato 1 mês, e hoje eu estou sem meus filhos amados. Após 10 dias de alegrias e brigas, dicussões e piadas. De escutar o elogio ao macarrão do papai, segundo eles o meu penne com molho de azeitona e calabresas é o melhor do mundo. De receber um café da manhã em um domingo no qual acordei com dor de cabeça. De poder domir com um de cada lado me apertando. De poder cobri-los mais de 15 vezes nas noites frias, nas camas deles. E ir enfim dormir na minha. De ficar com o coração na boca toda vez que meu guri vai na padaria a duas esquinas de casa.

Não venho (re)clamar ser o melhor, nem tenho a prepotência de ser o maior pai de todos (este é o meu pai com toda a certeza). Também não venho falar que eu tinha razão ou não. Não quero falar dos meus erros, nem daqueles que foram cometidos pela minha ex-mulher. Apenas quero expressar meu profundo e sincero amor pelos meus filhos. Meu relacionamento com minha ex-mulher impede que meu relacionamento com eles seja mais próximo. Apenas os dias definidos de visita. Os vejo a cada 15 dias, e dou umas escapadas antes disso para ir vê-los na escola. Entrei para a Associação de Pais e Professores da escola deles, assim sempre posso saber como estão. Todo mundo sempre pense em primeiro lugar nas crianças (e isso eu acho correto, apesar do peso usado para medir ser distorcido), depois pensam na mãe. Pobre pai, num mundo onde a igualdade entre os seres humanos é pregado ele fica relegado a segundo plano.Que dia ingrato, que dia triste. Quando algém simplesmente te anuncia que você está “impedido” de ter livre acesso aos filhos que você gerou, viu crescer, alimentou, trocou fraldas, enfim, amou. Após aquela segunda-feira terrível, foram três dias sem me alimentar ou dormir. Onde a única coisa existente foram lágrimas e dor.

Hoje mais uma vez acabou. Será mais um longo período até as próximas férias. Mais um período no qual me sinto vazio. Mais um período no qual sinto solidão. Mais um período no qual eles me farão falta. Filho apenas gostaria de dizer o quanto amo vocês, mais uma vez… ainda hoje. Sei que nem mesmo vocês lerão estas palavras. Mas elas ficam aqui guardadas, para tempos futuros… para o amanhã que ainda não chegou. Peço desculpas por estas palavras mal escritas, mas precisava desabafar. O desabafo de um pai que ama os filhos. Apenas isso, simples assim.

Tenho uma fé inabalável em Jesus Cristo. E sei que ele me sustentará em todas as áreas. Sei que ele está acima das minhas próprias crianças, pois foi ele mesmo quem planejou e me deu estes dois presentes, estas duas dádivas. Apenas me resta orar a ti, Meu Deus, pelos meus filhos queridos. Mais uma vez digo o principal. Lucas e Isabella, os amo, muito. Muito mesmo. Com muito amor para dar para vocês ainda, papai Luciano.


3 Comentários on “Dia de tristeza…”

  1. Flavio disse:

    Luciano;

    Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo belo trabalho aqui, sou consultor mikrotik e sempre que posso dou uma fuçada p ver se alguém teve alguma idéia genial nova, afinal de contas estamos aí p dividir né afinal optamos pelo livre, enfim, quero dizer que me emocionei muito lendo este post que aqui comento.
    Sei bem pelo que está passando sabe, passei por isso e de certa forma ainda passo, também tenho duas bênçãos na minha vida, que são o João Guilherme e a Giovanna, que também são o meu tudo sabe, sofri muito também quando me vi forçado a me ver longe daqueles sorrisos banguelos ainda, tropeçando na porta para ver quem abraçava primeiro o pai ao chegar em casa e já no minuto seguinte estavam atirados no sofá esperando a “serpresa” que eu os levava todos os dias, nem que fosse uma bala para cada eu nunca chegava de mãos vazias, e eles independente do que fosse faziam a mesma festa, quando deixei de ter isso me vi louco, mas infelizmente o convivio com a mãe deles se tornou insuportável e eu vi que aquilo de certa forma fazia mal a eles, e tive de escolher maltrata-los menos defende-los daquilo tudo, e acabei saindo de casa, pois Não queria que eles fossem base para o meu casamento infeliz, enfim, meu filho Guilherme ficou com a mãe junto da Gio, porém o caso do Guilherme era mais complicado, pois a mãe não gostava muito dele, e ele ficava na janela me chamando o dia todo, e ouvia xingamentos de todo e qualquer tipo que vc possa imaginar até de viadinho ele era chamado pela mãe por isso, casei novamente, e vim morar em Porto Alegre, em junho de 2008, em dezembro já mais estruturado aqui, fui ao RJ e o trouxe comigo, mas sabe não era mais o meu filho sabe, não era mais aquele garotão que ficava a esperar o pai, ele tinha ficado meio abobado, cheio de traumas de dificuldades, de carências, hoje, graças a Deus ele está progredindo bastante, e a cada dia me surpreender, agora pouco por exemplo, ele eprendeu a trocar de canal com o controle remoto reconhecendo os numeros, para qualquer pessoa é uma idiotice, porém para mim é uma grande vitória dele, ele tem 4 anos de idade e é um vencedor, tens noção do que é vc pedir a uma criança para desenhar o que ele não gosta ele fazer uns rabiscos que é o que sua coordenação motora pouco treinada sabe fazer e dizer que é a Mãe, dizer que o que ele não gosta é a mãe, imagino o que essa criança não passou, a Giovanna infelizmente continua com ela, mas a Giovanna tem um tratamento diferente eu sempre soube disso por isso não me põe tanto medo, é complicado trazer ela junto também até por espaço físico, a minha atuala esposa também tem 2, e fica complicado 4 crias, até porque a Gio é bem pequena tem apenas 2 aninhos, por enquanto até nos organizarmos melhor é melhor que ela fioque com a mãe, e acabo usando teu espaço aqui também para deixar gravado, o quanto amo meus pequenos, o quento esses dois são importantes para o “papaizinho” e dizer que sei bem o que é sentir o coração arder de saudade, se o quanto quaima cada lágrima que desce do olho, e como é querer pensar em alguma outra coisa e só ver aquelas carinhas risinhas chamando “papaizinho”.

    Desculpe o livro desabafo;

    Forte abraço;

    Flávio

  2. AshleyK disse:

    Hi,

    I’m from up north:) and I think I found a new place to hang

    So, anyone care about the Great Olympic Games here?

  3. getethicy disse:

    Strange this post is totally unrelated to what I was searching goggle for, but it was listed on the first page. I guess your doing something right if Google likes you enough to put you on the first page of a non related search.

    rocker gaming chair


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s